Em Acrelândia, a briga pelo poder, faz do vice-prefeito o homem mais forte da administração

Acrelândia sofre às consequências de uma administração problemática logo no inicio da gestão

No dia 08/02/2021, esse veiculo de comunicação publicou uma denúncia, contra o Prefeito de Acrelândia, a Procuradora Jurídica e o Secretário de Administração e Finanças, trazendo como título da matéria “Acre – Procuradora Jurídica de Acrelândia é condenada há 3 anos e nove meses, pelos crimes de estelionato e furto”, a procuradora foi exonerada no dia seguinte 09/02/2021 e em 18/02/2021, o Prefeito Olavinho, exonerou NESIO MENDES DE CARVALHO, do Cargo de Secretário Municipal da Casa Civil, nossa reportagem entrevistou o ex-secretário Nesio, que demonstrou com clareza o funcionamento politico da administração municipal, a fraqueza do Prefeito Olavinho e a ascensão e articulação do Vice-Prefeito Graia. 

Entrevista com Nesio Mendes de Carvalho, ex-secretário de Administração, Finança e Casa Civil do Município de Acrelândia

Manchete agora – Senhor Nesio, sua exoneração tem haver com a demissão da ex-procuradora jurídica?

NESIO MENDES DE CARVALHO – Não, minha demissão, foi fruto de uma jogada politica de briga por espaço, poder e controle, dos pontos chaves da administração municipal, tendo como coordenador da demissão o Vice-Prefeito do município e alguns vereadores. O Prefeito Olavinho, ao cometer crime de responsabilidade, em permitir o pagamento de R$ 14.000,00 (quatorze mil reais), a uma advogada nomeada por ele como Procuradora Jurídica do Município, que só podia perceber o valor de R$ 7.000,00 (sete mil reais), ficou fragilizado e seus algozes adversários, diante da fraqueza do prefeito, buscaram tirar do caminho a pedra no sapato deles o Secretário Municipal da Casa Civil, no caso eu, disse Nesio.

Manchete agora – Quais são as provas que você apresenta, que comprova o cometimento de CRIME DE RESPONSABILIDADE, do Prefeito Olavinho?

NESIO MENDES DE CARVALHO – O Prefeito nomeou a Procuradora Geral do Município no dia 19/01/2021, através do DECRETO N. O67, com efeitos retroativos a 01/01/2021, no dia 29/01/2021, Anelize Cassanelli de Oliveira – Coordenadora do RH, solicitou do Prefeito Olavinho, através do “MOMO./RH/Nº12/2021”, um parecer jurídico, que justificasse o aumento de salário de R$ 7.000,00 (sete mil reais), para R$ 14.000,00 (quatorze mil reais), da Procuradora Geral, pois a única ordem que justificasse esse aumento de 100% no salário, tinha sido dada pela beneficiária a própria Procuradora Geral, verbalmente e sem nenhum documento, e mesmo eu adotando às devidas providências ele não fez nada para a devolução aos cofre público, do valor pago indevidamente. 

Manchete agora – Onde você entra nessa história? 

NESIO MENDES DE CARVALHO – Eu, só fui comunicado cinco dias após, o Prefeito Olavinho, ter recebido o memorando, como ele não tomou nenhuma providência, a Coordenadora do RH, resolveu me dar conhecimento do fato grave acontecido em seu setor, minha comunicação foi através do “”MOMO./RH/Nº13/2021”, assinado pela Coordenadora do RH – Anelize Cassanelli de Oliveira , haja vista, exercer o Cargo de Secretário de Finanças do Município e de Secretário de Administração. Adotei de imediato a consulta de um parecer jurídico que me fundamentasse a tomada de uma decisão e no dia seguinte dia 03/02/2021, protocolei no Gabinete de Sua Excelência o Prefeito Olavinho o “MEMO.INTERNO/SECADM/Nº44/2021” a fundamentação legal do crime praticado pela Procuradora Geral, em autorizar verbalmente o seu pagamento, com 100% de aumento, para isso determinei proceder com adequação salarial aos R$ 7.000,00 (sete mil reais), bem como a devolução dos valores percebidos acima do que preceitua a lei, ou seja a devolução de R$ 7.000,00 (sete mil reais).  

Manchete agora – Qual a postura do Chefe do Executivo, ao ser comunicado de um ato, de tamanha gravidade?

NESIO MENDES DE CARVALHO – O Prefeito Olavinho, não teve postura de um homem forjado para o Cargo, não deu a transparência que pregou durante a campanha, foi fraco, deixou-se levar pela pressão e pela chantagem, essa administração já era, não foi esse o projeto que eu ajudei a construir para Acrelândia, nosso sonho sempre foi de ajuste nas contas públicas, de defesa do dinheiro público, de austeridade, de transparência, onde o cidadão saiba o que se compra e o que se paga, defendi os cofres do município e não concordei, nem fui conivente com coisa erradas, o famoso jeitinho, comigo não, acreditava que o Prefeito Olavinho, tinha os mesmos objetivos, pois, conversávamos sobre isso, ele esqueceu o que defendíamos e cedeu ao grupo do Vice-Prefeito Eraides Caetano,  (Graia).

Manchete Agora – Na sua opinião o Vice-Prefeito Graia, tem poder na gestão municipal ou é mero coadjuvante?

NESIO MENDES DE CARVALHO – O prefeito Olavinho, a cada dia, fica mais fraco e o Graia, fica mais forte, conquista espaços importantes e vai dando as cartas na administração, hoje ele tem a Diretoria de Tributos, ele tem na CPL uma influência, nomeou o Secretário de Saúde do PSDB, tem dois vereadores e agora vamos aguardar que ele vai lutar para colocar os dele, no cargo que eu ocupava, por isso ele antes mesmo do Prefeito Olavinho, retornar ele já anunciava través de áudios a pessoas formadoras de opinião a minha queda, anunciava que a condenada em segunda instância por estelionato e furto, a advogada Helciria Albuquerque dos Santos Sá, há 3 anos e 9 meses de prisão, nas sanções do art. 171, caput, e art. 155, caput, na forma do art. 69, todos do Código Penal, à pena de 3 (três) anos e 9 (nove) meses de reclusão, cumulada com o pagamento de 172 (cento e setenta e dois) dias-multa, que ela é uma excelente advogada, deixou de defender quem ele conhece, convive e ajudou a colocar eles no poder, que defendeu o dinheiro público, daquela que queria de maneira errada receber o que não tinha direito e de forma ilegal, para se manifestar contra mim, só existe um nome para isso covardia, nossa povo verá, os acontecimentos futuros e julgará, aqueles que prometeram durante a campanha e não cumpriram quando assumiram o poder. 

Manchete agora – O Senhor tem mais alguma coisa para acrescentar nessa entrevista?

NESIO MENDES DE CARVALHO – Deixo claro que nunca pedi para fazer parte da gestão, eu fui chamado pelo Prefeito e pelo Vice-Prefeito, para ajudar proteger os cofres do município, mais ao começar corrigindo erros grotesco como este do jurídico e do próprio prefeito, sofro o golpe de dentro da equipe, a oposição vibrou pois eles jamais aceitam que perdeu e que Acrelândia, iria ser passada a limpo, diante dos fatos parece que tal atitude da ideia do salário de R$ 14.000.00 (quatorze mil reais), estava tramado a queda do prefeito e a minha, junto eu entraria para a história, como o secretário que não sabia nada de Lei, ou não conhecia sobre oque estava fazendo, mas graças ao nosso senhor, sei como fazer e soube alertar, agora cabe a Câmara de Vereadores, legislar e dar o parecer sobre a lei 630, aprovada pela Câmara Municipal, lembrando que cargo comissionado do Jurídico tem o maior salário de R$ 7.000.00 (sete mil reais), qualquer outra interpretação e nebulosa para driblar os erros, e quem assim o fizer estará passivo de responder cível e criminal, perante a justiça. Chamo atenção ainda de suas Excelências os Senhores Vereadores, para apurarem a denuncia feita pela Ex-Procuradora Geral do Município de que na Prefeitura tem uma quadrilha, apurando e dando os nomes para a sociedade, caso não tenha que sejam adotadas as medidas cabíveis, para o crime cometido.

Documentos entregues pelo ex-secretário Nesio Mendes de Carvalho, clik e leia a integra dos documentos.

Documento 0002

Documento 0001   

Nota da Redação

Nosso dever com a noticia é checar as fontes e os fatos, se verdadeiros, publicaremos e daremos os devidos espaços a qualquer direito de resposta de pessoa que sentir necessidade do contraditório e ampla defesa, assegurado ao cidadão no art. da Constituição Federal, portanto ao Prefeito de Acrelândia, ao Vice-Prefeito ou qualquer pessoa citada terá o mesmo espaço de entrevista.

O que é o Direito de Resposta? Tal direito é previsto na Constituição Federal, que dispõe, em seu art. 5º, inciso V, que “é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem”. 

O Art. 220 da Constituição Federal de 1988, também assegura, a liberdade de expressão da noticia. 

Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 1º Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.
§ 2º É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

 

Da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui