Deputado dos dólares na cueca quer CPI para investigar Flávio Bolsonaro

Deputado dos dólares na cueca quer CPI para investigar Flávio Bolsonaro
por Diogo Marcondes

Eleito para o quarto mandato consecutivo, o deputado federal José Guimarães (PT-CE) quer que seja aberta uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Filho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio vem sendo acusado de ter feito movimentações financeiras suspeitas. A confusão ficou ainda maior, quando o senador recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo a paralisação as investigações conduzidas pelo Ministério Público (MP-RJ).

O senador alega que o seu sigilo bancário foi quebrado sem que houvesse autorização da Justiça para tal medida. O STF acatou o pedido e as investigações pararam.

José Guimarães, um dos nomes mais fortes da bancada do PT, pediu a abertura da CPI. Guimarães ganhou fama nacional em 2005, no auge do escândalo do Mensalão, no primeiro governo Lula.

José Adalberto Vieira, assessor do deputado à época, foi flagrado no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com nada menos do que 100 mil dólares na cueca. O homem foi conduzido à Polícia Federal.

Além do dinheiro na cueca, ele carregava uma mala com mais R$ 209 mil. O dinheiro era de propina e seria utilizado para intermediar um negócio entre uma empresa de energia e o Banco do Nordeste. O deputado José Guimarães escapou de qualquer acusação ao defender que não havia ligação entre ele e o assessor.

O pedido de abertura de CPI não parte apenas do deputado cearense. O PT, presidido por Gleisi Hoffmann, articula um movimento em favor da investigação contra Flávio Bolsonaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui